close

A Wings atende em domicílio
e em clínicas parceiras em São Paulo

Contato

ATENÇÃO! OBESIDADE EM AVES É COISA SÉRIA

Muito se ouve dizer por aí que os bichos estão “herdando” os comportamentos e, até mesmo, alguns distúrbios ditos humanos, como a ansiedade, problemas endocrinológicos e a preocupante obesidade – apontada pela Organização Mundial da Saúde como um dos maiores problemas de saúde pública do mundo.

E, apesar dos pets parecerem fofos e engraçadinhos quando estão acima do peso, estar gordinho traz muitos malefícios à saúde do animal, inclusive para as aves domésticas, que também podem sofrer com este problema.

Se você tem um penudo em casa e desconfia de que ele está mais rechonchudo do que deveria, as linhas abaixo vão te ajudar a lidar com a situação e entender que a obesidade não tem nada de graciosa.

Quando uma ave pode ser considerada obesa?

“A ave pode ser considerada obesa quando estiver acima do peso adequado da sua espécie e conformação corpórea, e apresentar acúmulo de gordura, principalmente, na região abdominal e peitoral”, esclarece Marta Brito Guimarães, médica veterinária especialista em animais silvestres da empresa de consultoria VetWings, de São Paulo.

Se “a olho nu” você não conseguir definir se sua avezinha está com sobrepeso, existem alguns sinais associados à obesidade que são mais facilmente identificados.

“Podemos suspeitar que uma ave está obesa quando estiver se alimentando excessivamente, permanecendo a maior parte do tempo no comedouro, apresentar cansaço fácil diante de um exercício físico como o voo e respirar com o bico aberto em dias mais quentes, além do abdômen distendido pelo acúmulo de gordura”, comenta Natalia Philadelpho Azevedo, médica veterinária especialista em animais silvestres, também da equipe VetWings.

A especialista ressalta que é importante diferenciar estes sinais clínicos associados a aves obesas de outras doenças, que podem se manifestar da mesma forma, como a pneumonia, onde a ave apresentará dificuldade respiratória, ou a infecção parasitária, que causará a dilatação de alças intestinais, distensão do abdômen e aumento da ingestão de alimentos devido à má absorção de nutrientes.

Principais causas e consequências da obesidade em aves

As principais causas da obesidade são uma dieta muito calórica e com alimentos ricos em gordura – como o girassol e o amendoim –, alimentos extras fornecidos pelos proprietários – como biscoitos, pães, café, leite, entre outros – e a falta de exercícios, como, por exemplo, o voo, considerando que a maioria das aves são criadas em gaiolas e possuem as penas aparadas.

“Já as consequências da obesidade nas aves podem ser vistas na reprodução: os machos apresentarão mais dificuldade em acasalar com a fêmea, e as fêmeas obesas poderão ter um aumento de retenção de ovos”, aponta Yamê Miniero Davies, médica veterinária especializada em animais silvestres, igualmente da VetWings.

Também podem ocorrer alterações cardiovasculares, principalmente se houver elevação dos níveis de colesterol e consequente formação e aderência de placas nas paredes dos vasos sanguíneos (ateromas) que podem obstruir os vasos e causar acidente vascular cerebral (AVC).

“Além disso, o acúmulo de gordura no fígado, chamado de esteatose hepática, causa alterações em seu funcionamento, levando à fibrose do órgão em casos mais graves. Com uma dieta rica em gordura e o excesso de peso da ave, há a possibilidade de formação de tumores constituídos de gordura que podem ser de origem benigna ou maligna, conhecidos como lipoma ou lipossarcoma. Geralmente, são removidos por meio de excisão cirúrgica, mas pode haver uma diminuição no seu tamanho se a ave perder peso”, alerta a especialista.

Portanto, para prevenir e tratar a obesidade, não adianta ir ao curandeiro da selva e fazer promessa em troca de milagre. Basta fornecer uma dieta balanceada para sua ave (de acordo com a espécie) e prover a possibilidade dela realizar exercícios físicos diariamente.


Fonte: www.portalmelhoresamigos.com.br